Tag

manifestação

Browsing

O Poder Judiciário determinou a suspensão de manifestações que incentivem a aglomeração de pessoas na capital. A decisão liminar da juíza Gabriela Scabello Milazzo abrange o período de uma semana – das 12h desta segunda-feira (15/6) até as 12h do dia 22 de junho, sob pena de multa diária de R$ 10 mil aos organizadores.

A decisão da Justiça também estipula multa de R$ 1 mil para cada manifestante, comprovação que pode ser feita “inclusive por fotografia ou filmagens de pessoas ou placa de veículo”, conforme consta no documento obtido pela Prefeitura. De acordo com a juíza, os valores devem ser transferidos ao combate à covid-19 no município.

Outra proibição se refere à montagem de estruturas e acampamentos nas ruas, calçadas, praças e demais espaços públicos da capital, sem prévia autorização municipal, sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil. A decisão pode, ainda, ser prorrogada por um período maior, dependendo da análise da situação.

mae - moro

Entre as mais de 50 mil pessoas que foram às ruas de Maringá, no protesto deste domingo (13), uma não poderia passar despercebida, mesmo não sendo reconhecida pela multidão. A mãe do juiz Sérgio Moro, Odete Moro, também saiu em passeata. Odete ressaltou o orgulho em ver o trabalho do filho sendo reconhecido pelos brasileiros já cansados de tantos escândalos na política. “Ah! Eu sinto muito orgulho, fico satisfeita dele estar fazendo um bom trabalho e espero realmente que ele colabore pra esse desenvolvimento do Brasil e que acabe com essa corrupção”, disse. As informações são de Rafael Marcante na Rede Massa/Massa News.

Questionada pelo repórter William Souza, sobre o filho ser reconhecido como um herói nacional, à frente da Operação Lava Jato, Odete respondeu. “Um brasileiro que está fazendo, e vai fazer a justiça para todos, ele não é herói”, afirmou.

protesto - curitiba

A Polícia Militar preparou esquema de segurança para a manifestação prevista para este domingo (13), em Curitiba. A coordenação é do 12º Batalhão e segundo o comandante, coronel Antônio Zanatta Neto, será garantido o direto à manifestação, mas inibidos atos de vandalismos e depredação do patrimônio público.

Participarão outras unidades da PM. O batalhão conta, ainda, com uma base de comando e monitoramento móvel, com a qual é possível acompanhar o deslocamento dos manifestantes e localizar pontos que necessitem de abordagem preventiva. Haverá patrulhamento a pé, com motos, viaturas, módulos móveis e helicóptero do batalhão de operações aéreas.

protesto - curitiba

A semana começou com a passagem de ônibus custando mais caro em Curitiba. Com a tarifa de R$3,70, foi confirmado pelo facebook o primeiro protesto com o nome “3,70, nem tenta”. A manifestação está marcada para acontecer nesta terça-feira, 2, às 18h na Boca Maldita, no centro de Curitiba. As informações são da CBN/Curitiba.

De acordo com a descrição do evento na página da rede social, o movimento “3,70, nem tenta” vai às ruas novamente “unificado com a Frente de Luta Pelo Transporte e o Tarifa Zero contra o aumento da tarifa do transporte público (que na verdade é privado) em Curitiba e também pelo rompimento imediato do contrato de licitação feito com as empresas de ônibus em 2011.”

manifestacao - pt 20.08.15

do blog do Fernando Nandé, n’o Diário:

De corneta em punho e gritando palavras de ordem, meia-dúzia de petistas está fazendo barulho ao lado do prédio histórico da Universidade Federal em Curitiba, em pleno horário de trabalho. Das janelas dos prédios vizinhos, o povo que tem o hábito de enfrentar o batente grita: “Vá trabalhar, vagabundo!”. Outro popular sugere: “vão se manifestar lá na frente da carceragem da Polícia Federal!”.

do Bem Paraná:

A sede do PT foi incendiada na tarde de ontem, depois das manifestações contra o governo Dilma realizadas pela manhã na cidade. A Polícia Militar informou que o ataque foi de vândalos e que o incêndio não chegou a atingir todo o prédio.

Uma perícia era feita no local no final da tarde. A direção do PT local informou que as chamas atingiram a recepção, queimando cortinas, mesa, cadeira e parte do teto. Na mesma haviam documentos que também foram queimados.

O prédio e o muro ao lado foram pichados com a frase “Fora PT”. O líder do partido na Câmara, vereador Gerson Sartori, disse que não é possível relacionar o vandalismo com as manifestações, até porque nenhum autor do incêndio foi identificado. A Polícia Civil vai investigar o caso.

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), divulgou vídeo no Facebook pedindo para que a população não se disperse após as manifestações contra a presidente Dilma Rousseff (PT). “Esse 15 de março vai ficar lembrado para sempre como o dia da democracia. O dia em que os brasileiros se vestiram de verde e amarelo e foram para as ruas se reencontrar com as suas virtudes, seus valores, seus sonhos. Eu optei por não estar nas ruas neste domingo para deixar muito claro quem é o grande protagonista destas manifestações. E ele, é o povo brasileiro, o povo cansado de tantos desmandos, de tanta corrupção. Mas o caminho só está começando a ser trilhado. Por isso, não vamos nos dispersar!”.

fora dilma - curitiba - 15.03.15

O secretário de Segurança Pública, Fernando Francischini, concede coletiva à imprensa nesta segunda-feira, 16, às 9h em Curitiba, com os dados e números sobre as manifestações pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) nas cidades do Paraná: Curitiba, Londrina, Maringá, Foz do Iguaçu, Cascavel, Ponta Grossa, Paranaguá, Guarapuava, Paranavaí, Campo Mourão, Toledo, entre outras. Segundo os organizadores, as manifestações no estado reuniram mais de 285 mil pessoas. Francischini vai divulgar os números levantados pela Polícia Militar, organizadores e imprensa. Mais de mil policiais orientaram o trânsito e fizeram a segurança nos protestos. Nenhum incidente mais grave foi registrado.

protesto - londrina

O protesto contra a presidente Dilma Rousseff em Londrina reuniu mais de 60 mil pessoas. A Polícia Militar divulgou que os manifestantes foram 45 mil – número preliminar divulgado pelo comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar, major José Luiz de Oliveira. O protesto começou por volta das 15 horas, em frente ao Colégio Estadual Vicente Rijo, na região central. Acompanhada por pelo menos três carros de som, a multidão seguiu rumo ao calçadão, passando pelas avenidas Higienópolis e Paraná. O grupo novamente se concentrou em frente à Praça da Bandeira. As informações são do Jornal de Londrina e foto de Fábio Casalvara.