Tag

MP

Browsing

justus2

O Conselho de Ética da Assembleia Legislativa aprovou ontem (quinta-feira, 23), por unanimidade, o relatório do deputado Missionário Ricardo Arruda (PSC) que decidiu rejeitar o ofício do Ministério Público como representação ou denúncia contra o deputado Nelson Justus (DEM). A alegação foram a inobservância das formalidades legais e ausência de tipicidade de conduta, além de não ter qualquer fato novo que pudesse fazer com que decisões anteriores do conselho pudessem ser revistos. As informações são do Bem Paraná.

dinorah portugal

A imprensa pode estar sendo induzida a um grave erro em relação a secretária estadual da Administração, Dinorah Nogara. Não há no Tribunal de Justiça do Paraná qualquer pedido de autorização do Ministério Público para que investigue a participação da secretária em licitações de manutenção dos veículos da frota oficial do estado. Parte da imprensa, de forma parcial, está divulgando uma mentira como fato.

Foto: Antonio Moré – Gazeta do Povo artagao - antonio more - gazeta

de Amanda Audi e Diego Ribeiro, Gazeta do Povo:

Interceptações telefônicas feitas pelo Gaeco, braço do Ministério Público, mostram que o ex-presidente e atual conselheiro do Tribunal de Contas (TC-PR), Artagão de Mattos Leão, pelo menos desconfiava de problemas na licitação de R$ 36,4 milhões para construir um anexo ao prédio, no ano passado.

A gravação vai na contramão do que afirmou Artagão em entrevista à Gazeta do Povo, ontem, na qual negou ter conhecimento da suposta fraude na concorrência.

Foto: Jose Roberto Custódio/ Jornal de Londrina
gaeco - foto2

de Fábio Silveira e Fábio Calsavara, do Jornal de Londrina:

A investigação de crimes sexuais praticados por servidores estaduais de Londrina abriu uma nova frente. Agora, o alvo é um suposto esquema de corrupção envolvendo auditores da Delegacia da Receita Estadual em Londrina que extorquia empresários provocando um prejuízo ainda não calculado aos cofres públicos, em impostos que deixaram de ser recolhidos. Em pelo menos dois casos já identificados pela Promotoria de Defesa do Patrimônio Público, os auditores da Receita teriam cobrado propina para dar baixa em dívidas milionárias de empresas. Para isso, eles teriam recebido R$ 200 mil de cada empresário.Os empresários que se aproveitaram do esquema para “saldar” suas dívidas com o Fisco serão investigados.

vaccari PF

É de grande apreensão o clima no PT. Mônica Bergamo, na Folha de São Paulo, atenta que João Vaccari, tesoureiro nacional do partido envolvido no escândalo da Petrobras, não tem a mesma capacidade de resistência demonstrada por Delúbio Soares. O ex-tesoureiro “matou no peito” o escândalo do mensalão e sempre se mostrou disposto a pagar sozinho, se necessário, pelas irregularidades. No PT e até mesmo em outros partidos, Delúbio é tratado como herói.

Lula, pela primeira vez em muitos anos, estaria demonstrando nervosismo acima do normal com o andamento das investigações de um escândalo envolvendo o PT.

O prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT), que gosta de cultivar a fama de conciliador, vem sofrendo contínuos surtos de autoritarismo. O último deles mira o Procon e o Ministério Público que estão questionando a diferença de R$ 0,15 a mais na passagem do transporte coletivo da capital para quem pagar em dinheiro. Tanto para o Procon quanto para o MP a medida viola o princípio constitucional da impessoalidade ao tratar de forma desigual usuários do mesmo serviço. Sem medo de ser feliz, Fruet ameaça subir para R$ 3,30 a passagem de todos os usuários se houver uma intervenção judicial.

paulo mac donald

A 6ª Promotoria de Justiça de Foz do Iguaçu ajuizou ação civil pública por ato de improbidade administrativa contra o ex-prefeito Paulo Mac Donald (PDT) e outros seis ex-secretários (dos quais quatro atuaram na Secretaria de Administração). O MP diz que foram contratados, de forma irregular, 35 servidores na Secretaria de Saúde para cargos comissionados de assessoramento, como recepcionista, secretária, atendimento ao público, motorista, telefonista e almoxarifado.

Instituições públicas federais estão na mira dos investigadores da Operação Lava Jato. As denúncias do esquema de corrupção na Petrobras identificaram um modelo de negócio que deve levar a Força Tarefa do Ministério Público Federal e da Polícia Federal a abrir novas investigações para apurar irregularidades em contratos firmados em outras áreas. Parte dessas investigações depende de acordos de colaboração que estariam em negociação com executivos de grandes empreiteiras. As informações são da BandNews.

Na manhã de hoje, Dilma afirmou que vai consultar o Ministério Público para saber se há alguma restrição em relação aos escolhidos para comandar os Ministérios em seu segundo mandato (veja, aqui, a matéria). Joaquim Barbosa criticou duramente a decisão de Dilma. Via twitter, o ex-ministro do STF disse que a presidente “não dispõe de pessoas minimamente lúcidas para aconselhá-la em situações de crise” e falou em “degradação institucional”.

joaquim barbosa - twitter 22;12

Recentemente, o Estadão divulgou uma lista com 28 políticos supostamente envolvidos no esquema de desvio de dinheiro da Petrobras, segundo depoimento de Paulo Roberto Costa. Gleisi Hoffmann, ex-ministra chefe da Casa Civil de Dilma, estava na lista.