Tag

oposição

Browsing

jorge bernardi2

O vereador Jorge Bernardi (Rede) anunciou a formação do bloco de oposição ao prefeito Gustavo Fruet (PDT). Rede, PMN e PMDB já aderiram ao grupo e outros vereadores conversaram com Bernardi. “Não faremos uma oposição raivosa, será programática”, disse. Bernardi foi eleito pelo PDT de Fruet, mas rompeu com o prefeito e deixou o partido no ano passado, depois que Fruet apoiou a eleição do vereador Aílton Araújo (PSC) para a presidência da Câmara. Com informações da coluna Política em Debate no Bem Paraná.

eduardocunhareuters

Ilimar Franco

No encontro do final de semana, os líderes da oposição pressionaram o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para que defira o pedido de impeachment. Em troca se comprometeram a não apoiar qualquer movimento para destituí-lo do cargo.

A oposição concluiu que não tem 257 votos para aprovar o impeachment, caso Cunha indefira o pedido. Mas não vai precisar enfrentar essa votação se ela for deferida. Essa foi a manifestação de Cunha em resposta à questão de ordem sobre o tema. Na página sete desta, diz: “Encontram-se asseguradas pela previsão regimental de recurso contra a decisão do presidente que indeferir o recebimento da denúncia” (artigo 218, parágrafo terceiro, do Regimento Interno da Camara dos Deputados).

Usar recursos previstos em regimento para desmanchar acordos duramente costurados, apenas com o objetivo de salvaguardar a imagem de alguns deputados perante os servidores estaduais, prejudica os próprios trabalhadores.

Editorial, Gazeta do Povo:

O Paraná inteiro sabe o quanto custou o acordo para se votar o projeto de lei que concederia aumento de 3,45% aos servidores públicos do estado. O reajuste acertado deveria ser o capítulo final de uma novela iniciada no começo do ano e que envolve o esforço fiscal do estado para colocar em ordem suas contas, a greve dos professores e de várias outras categorias de servidores, a invasão do plenário da Assembleia Legislativa para impedir a votação de um projeto sobre a Paranaprevidência, e o tristíssimo episódio de 29 de abril, em que confronto entre polícia e professores deixou mais de 200 feridos. O estado inteiro – não apenas os servidores, mas também aqueles que deles dependem, como os alunos da rede estadual – sofreu, e esperava-se que, uma vez acertados os termos do reajuste salarial, seria possível retomar a normalidade.

Foto: Ailton Freitas – O Globo oposicao_reunida

Maria Lima, O Globo:

Jurista que auxiliou PSDB também elaborou pedido de impeachment, que será ‘usado no melhor momento’.

Autor da petição que será protocolada nesta terça-feira na Procuradoria Geral da República contra a presidente Dilma Rousseff por crime comum, o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior disse que elaborou também um pedido de impeachment para ser apresentado posteriormente, quando o PSDB avaliar que é o melhor momento político. O fundamento jurídico é o mesmo da ação criminal, as pedaladas fiscais praticadas pelo governo Dilma no período de 2013 a 2014. Ele disse ter se convencido da possibilidade do impeachment por fatos anteriores ao mandato, com um voto do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Melo, ao julgar um mandado de segurança impetrado pelo ex-deputado Pinheiro Landin.

brasilia2 votação

Com o refrão “O PT pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”, acompanhado de um panelaço, a oposição repudiou ontem a aprovação, na Câmara dos Deputados, da medida provisória que muda regras de acesso ao seguro-desemprego e abono salarial. Foram 252 votos a 227. Também foi rejeitado o destaque que estendia o seguro-desemprego a todos os trabalhadores rurais avulsos. Nesta quinta-feira, 7, os deputados vão votar outros destaques que podem modificar o texto. A MP aprovada faz parte do pacote criado pelo governo Dilma Rousseff para tentar acertar as contas públicas.

do Painel, Folha de S. Paulo:

A oposição criou seu roteiro dos sonhos para a ida de João Vaccari Neto à CPI da Petrobras: ele não usa seu direito de ficar calado e nega ter recebido propina.

O ato seguinte seria uma acareação entre o tesoureiro do PT e o delator Pedro Barusco, que o acusou de receber dinheiro. Doente, o ex-gerente da estatal confrontaria Vaccari e garantiria um embate “espetacular”.

do Painel, Folha de S. Paulo:

Embora não defenda publicamente o impeachment de Dilma Rousseff, a oposição aposta no depoimento de Alberto Youssef à CPI da Petrobras como o caminho jurídico para embasar um eventual pedido, caso as manifestações pela saída da presidente ganhem força. O doleiro disse em delação na Lava Jato que Dilma e Lula sabiam dos desvios na estatal. Para os oposicionistas, a oitiva de Youssef pode ter no petrolão o mesmo impacto que a de Duda Mendonça teve no mensalão.

Foto: George Geanni aecio -2

A oposição reagiu com rapidez ao pronunciamento da presidente Dilma Rousseff na noite deste domingo (8). O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse que a petista “inventa bodes expiatórios” e mente para a população. Para Aécio, a única parte do pronunciamento em que é possível dar razão a Dilma é quando ela diz que os brasileiros têm o direito de se “irritar e se preocupar”. “A presidente tem razão num ponto: os brasileiros estão irritados e preocupados. E sabem bem com o quê e com quem.” As informações são da Folha de S. Paulo.

Em nota, o tucano disse que Dilma “terceiriza responsabilidades que são exclusivamente do governo dela e fornece um enredo irreal à população”. Ele ironizou o pedido de união feito pela petista: “Apenas quem é capaz de admitir seus erros, buscar o diálogo e respeitar as diferenças, é capaz de apontar novos caminhos e liderar um consenso. Não é o caso da presidente.” Aécio disse que, “ao contrário do que foi dito”, o ajuste imposto “penaliza mais os mais fracos e mais pobres”.