Tag

Presidência

Browsing

sergio moro_ajufe

No levantamento do Instituto Paraná Pesquisas, exclusivo para o Blog, 48,8% dos entrevistados indicaram que gostariam que o juiz federal Sérgio Moro, que comanda a Operação Lava Jato, disputasse a presidência da República. Outros 49,2% querem que Moro continue como juiz e 2% não souberam/não responderam a entrevista. Foram ouvidas 2.044 pessoas, em 162 municípios de 24 estados, entre os dias 3 e 6 de abril. A margem de erro é de 2%.

Osmar-Dias-Foto-Fabio-Pozzebom-ABr

O PDT do Paraná faz convenção no sábado (28), em Curitiba, às 9 horas, no Clube Morgenau, para eleger o novo Diretório Estadual do partido. O ex-senador e vice-presidente do Agronegócio do Banco do Brasil, Osmar Dias, encabeça a chapa que deve comandar a legenda nos próximos dois anos. Segundo o deputado estadual Nelson Luersen – que integra a chapa – explica, a meta da sigla em 2016 é reeleger o prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e mais 60 prefeitos no Paraná, preparando o caminho para a disputa pelo governo do Estado e a presidência da República em 2018.

serraglio-2

Painel, Folha de S. Paulo

Ao contrário do que se diz por aí, a candidatura de Osmar Serraglio (PMDB-PR) para o lugar de Eduardo Cunha conta com certa simpatia no grupo de Michel Temer. O entorno do vice acredita que um pedido de impeachment patrocinado pelo atual presidente da Câmara teria dificuldade de prosperar.

Nos cálculos internos, o sucessor de Cunha não pode ser tão oposicionista, para não assustar o Planalto, nem tão governista, a ponto de frear um pedido de deposição. “Precisa ter coragem de abrir o impeachment e ser ficha limpa para não desacreditar o processo”, diz um cacique.

alvaro dias - psb

O presidentes nacional do PSB, Carlos Siqueira, visitou o senador Alvaro Dias (PSDB-PR) no apartamento do tucano em Curitiba e reiterou o convite ao senador para se filiar ao partido. Siqueira adiantou a Alvaro que o PSB está aberto à qualquer um dos dois projetos do senador nas eleições de 2018: a candidatura a presidência da República ou ao governo do Paraná. O presidente do estadual do PSB, Severino Araújo, acompanhou o encontro.

Foto: Gustavo Lima – Câmara dos Deputados sessao maioridade - foto gustavolima - camara3

do Painel, Folha de S. Paulo:

A tese da candidatura própria do PMDB à Presidência num momento de aguda crise política foi um ato calculado. Se a Lava Jato deixar, Eduardo Cunha tentará pavimentar seu caminho ao Palácio do Planalto. Ele promove desgastes ao governo e preside a Câmara de olho nas pesquisas de opinião. Mas há colegas no páreo, o vice Michel Temer e o prefeito Eduardo Paes. “Maquiavel ensinava: dividir o adversário é a primeira estratégia para governar”, brinca o presidenciável Aécio Neves.

Sem refresco – Apesar de o governo contar com a pausa do Legislativo para esfriar a temperatura da crise, o grupo de Cunha articula surpresas desagradáveis no recesso.

lula - vaccari

do Claudio Humberto:

A língua do ex-tesoureiro do PT João Vaccari é muito temida em razão de suas ligações íntimas com o ex-presidente Lula. São tão ligados que Vaccari chegou a ser nomeado presidente da Caixa Econômica Federal no primeiro governo Lula. Não assumiu porque não tinha nível universitário. Depois, Vaccari fez o curso de Relações Internacionais de olho na boquinha. Mas era tarde. O supercargo na Caixa nunca veio.

A pretensão de Lula, nomeando Vaccari na Caixa, causou estranheza até nos lulistas mais empedernidos. Sabe-se agora porquê. Stalinista fervoroso, Vaccari virou tesoureiro do PT pela fidelidade a Lula. É capaz de pegar pena longa para proteger o ídolo.

Lula não parece seguro quanto à lealdade de Vaccari, a julgar pelos recados nervosos enviados ao ex-tesoureiro. Vaccari foi ao sacrifício na cooperativa dos bancários de São Paulo (Bancoop) para “limpar” o roubo, por lealdade a Lula e ao PT.

O presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano e o deputado federal Alfredo Kaefer são pré-candidatos a presidente do PSDB do Paraná. Ambos colocaram seus nomes à disposição durante reunião da Executiva Estadual nesta segunda-feira, em Curitiba. A eleição do substituto do atual presidente Valdir Rossoni será dia 7 de junho. Há uma corrente forte tucana que considera ideal que o próximo presidente permaneça no Paraná em tempo integral para poder realizar as costuras políticas necessárias para preparar o PSDB para as eleições municipais.

unnamed
Foto de Nani Goes

O deputado Ademar Traiano, presidente da Assembleia, tem pressa em acabar de vez com a comissão geral (aquele dispositivo que permite que as mensagens do governo sejam aprovadas diretamente no plenário, numa única votação, sem passar pelas comissões) e não quer dar chance para o azar. O deputado determinou que a sessão desta quarta-feira (4) tenha pauta invertida. Com essa decisão, a extinção da comissão geral será votada antes da apresentação do secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, que vai falar sobre a situação financeira do estado. A sessão, previsivelmente longa em função das conhecidas dificuldades econômicas, poderia prejudicar ou mesmo adiar a votação da matéria. Risco que Traiano não quer correr.

Foto: Paulo Fridman/Bloomberg bendine22

da Folha de S. Paulo:

Praticamente fora do Banco do Brasil desde o final do ano passado, o presidente da instituição Aldemir Bendine, que agora irá presidir a Petrobras em substituição a Graça Foster, trabalhava para permanecer no governo, possivelmente indo para o BNDES ou alguma outra estatal de prestigio.

Bendine tem trânsito no mercado financeiro, especialmente entre os grandes bancos, mas é considerado mais um politico do que um executivo técnico. Tem pouco conhecimento de finanças.