Tag

propaganda

Browsing

requiao filho - pmdb

O deputado Requião Filho perdeu a verve, comum no parlamento paranaense, nos comerciais exibidos pelo PMDB na TV. “Não dá para culpar o mundo pelos erros acontecidos dentro de casa. Primeiro é preciso ter clareza na situação, mostrar que temos plena consciência dos nosso erros. Sem esse encontro com a verdade fica impossível corrigi-los. Vamos reagir à crise com cada um de nós fazendo a sua parte”, defende o filho do senador Roberto Requião (PMDB).

Em tempo, o deputado João Arruda – sobrinho de Requião – não aparece nos comerciais do PMDB. Tampouco Requião, que tem gosto pela telinha, participa do programa do partido.

dilma - ana maria braga

Ela já andou de bicicleta, saudou a mandioca e inventou a “mulher sapiens”. Nada disso, porém, deu resultado nem serviu para tirar sua popularidade do precipício. Agora, em mais uma tentativa de enfrentar a crise política, a presidente Dilma Rousseff vai tentar mudar a estratégia de comunicação, investir em conversas pela internet e “humanizar” sua imagem. As informações são da Agência Estado.

Além de aparecer mais em programas de TV, Dilma prepara uma ofensiva virtual, a menos de um mês dos protestos previstos para 16 de agosto contra seu governo. Na próxima semana, a Secretaria Geral da Presidência lançará o site “Dialoga Brasil”, uma plataforma que, mais adiante, terá até mesmo um aplicativo para celular. A meta é medir a temperatura da administração e planejar reações com antecedência.

Editorial, Estadão:

Sempre cobrado pela tibieza de seu comportamento como principal partido da oposição desde o primeiro mandato de Lula, inclusive quando estourou o escândalo do mensalão, o PSDB demonstrou em seu programa gratuito de televisão veiculado na terça-feira a disposição de endurecer as críticas ao governo petista, fazendo eco às manifestações de protesto que têm levado milhões de brasileiros às ruas. Coube ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, secundado pelo senador Aécio Neves, presidente nacional do partido, elevar o tom dos ataques, mirando principalmente em Lula, a quem atribui a responsabilidade pela “raiz da crise atual”.

ricardo hoff1

Marcelo Sperandio, Época:

Engolfado nas investigações da Operação Lava Jato, o mercado publicitário não pode alegar desconhecimento. Há um ano, a Associação Brasileira de Agências de Publicidade (Abap) fez uma “reunião nacional” em que os advogados do escritório Peixoto e Cury apresentaram a palestra “Lei Anticorrupção – aspectos práticos, legais e controversos”. Um dos slides dizia que um dos atos lesivos contra a administração é a “obtenção de vantagem indevida mediante suborno de funcionário público”. E alertava: “Não subornar ou tentar subornar ninguém!”. Associadas à Abap, a Borghi Lowe e a FCB receberam todo o material da palestra. As duas são investigadas pela Operação Lava Jato por suspeitas de pagaram propinas para conseguirem contratos com o governo federal. O publicitário Ricardo Hoffmann, ex-vice-presidente da Borghi Lowe que foi preso pela Polícia Federal, já aceitou fazer delação premiada.

dilma - tv.1

Assim como fez no Dia do Trabalhador, a presidente Dilma Rousseff vai usar as redes sociais para fazer seu pronunciamento no Dia das Mães, no próximo domingo, dia 10. Alvo de panelaços em diversos Estados durante o Dia Internacional da Mulher, a presidente tem evitado discursar em cadeia nacional. Dois anos atrás, antes de sua popularidade despencar, Dilma optou por falar no rádio e na TV nas três datas. As informações são de Veja.

No ano passado, ela falou em cadeia nacional nos dias da Mulher e do Trabalhador, mas limitou-se a usar o Twitter no Dia das Mães. Para não se expor a protestos, Dilma decidiu este ano também não aparecer nesta terça-feira no programa partidário do PT na televisão, segundo o jornal Folha de S. Paulo – ainda não está definido se imagens da presidente serão exibidas, mas não haverá um depoimento dela. Movimentos de oposição à presidente organizam um novo panelaço durante a exibição do programa partidário do PT, a partir das 20 horas.

dilma - tse

O TSE decidiu ontem (quinta-feira, 23) multar em R$ 30 mil à coligação política que reelegeu a presidente Dilma Rousseff (PT) em 2014 por uso irregular de propaganda eleitoral por meio do site Muda Mais. A coligação era formada por PT, PMDB, PDT, PC do B, PP, PR, PSD, PROS e PRB. A multa foi aplicada também à Pólis Propaganda, gestora do site. As informações são do Estadão.

O caso chegou ao TSE em setembro de 2014, por meio de representação do PSB, partido de Marina Silva na disputa presidencial. A ação resultou na suspensão temporária do site, após a corte constatar que a página estava registrada em nome da Pólis e não constava como endereço oficial de propaganda de Dilma. A lei prevê que o partido tem de registrar o site em seu nome e comunicar ao TSE a existência do domínio como fonte de propaganda eleitoral.

Editorial, Estadão:

Na propaganda partidária veiculada no rádio e na televisão, o Partido dos Trabalhadores (PT) tenta pegar carona na crescente indignação popular com a corrupção que está contaminando todo o aparelho estatal e só não se encontra onde não é procurada. Proclama o partido de Lula & Cia. que nunca antes na história deste país “nós” colocamos tantos corruptos atrás das grades como agora. É verdade. Puxaram a fila os principais dirigentes do PT condenados no rumoroso processo do mensalão, aquele que até um ano atrás era considerado o maior escândalo de corrupção da história da República. Mas há outras verdades.

O TSE cassou, na noite dessa terça-feira, 21, um minuto e 50 segundos do tempo de Dilma Rousseff (PT) na televisão. Por unanimidade, os ministros entenderam que a campanha da petista não pode mais reprisar inserção em que é exibido o ex-presidente Lula em comício chamando o candidato do PSDB, Aécio Neves, de “filhinho de papai”, além de tecer outras críticas. Informações do Estadão.

Marina Silva (PSB) deve se encontrar nas próximas horas com Aécio Neves (PSDB) para definir a participação na campanha do PSDB. Aliados de Marina defendem que ela entre de cabeça na campanha de Aécio. “Não adianta fazer as coisas timidamente”, disse o vice-governador eleito de São Paulo, deputado Márcio França, que é o presidente do PSB paulista. Informações do portal IG Online. Marina já deve gravar sua participação no programa eleitoral tucano.