Tag

público

Browsing

O caldo entornou nesta madrugada de sábado. Dois honoráveis membros do Ministério Público participavam de animado karaoke em casa noturna na Alameda Cabral. De repente, não mais que de repente, um desentendimento virou pugilato. O motivo do desentendimento é controverso. Musical? Passional? Meninas de saliência? Ora, pois, o certo é que um dos honoráveis promotores de Justiça mexeu com a namorada de um rapaz que lá estava num grupo festivo de 15 jovens. O pau comeu e virou pancadaria geral com direito a socos, pernadas, gritaria, histerismos e palavrões que fizeram corar as mulheres que trabalham na Casa.

A gloriosa Polícia Militar do Paraná foi chamada e colocou ordem no salão. Enquadrou os brigões e levou todo mundo para o CIAC-Sul. Na Delegacia, foi feito um Termo Circunstanciado, onde consta que a dupla do Ministério Público exigiu que não lhes pusessem as mãos. Otoridades. Todo mundo assinou e a malta foi liberada para terminar a noitada.

Com exceção de um dos rapazes agredidos pelo promotor de Justiça, que levou uma garrafada na cabeça e foi encaminhado ao Hospital Cajuru e precisou levar cinco pontos.

Quem ficou no prejuízo foi o proprietário da Casa, que quer saber onde vai cobrar o que perdeu no quebra-quebra.

Senador Alvaro Dias

Os deputados federais aprovaram no Plenário da Câmara, na sessão desta quinta-feira (26), o projeto de lei 3131/08, oriundo do PLS 88/2007, apresentado pelo senador Alvaro Dias, que torna homicídio qualificado e crime hediondo assassinar policial, bombeiro militar, integrante das Forças Armadas, do sistema prisional e da Força de Segurança Nacional, quando este estiver em serviço. De acordo com o projeto do senador, o agravamento do crime também se estende ao cônjuge, companheiro ou parente até 3º grau do agente público de segurança, quando o crime for motivado pela ligação com o agente de segurança. Em todos estes casos, a pena será de reclusão, de 12 a 30 anos. O homicídio simples prevê pena menor (reclusão de 6 a 20 anos).

dilma _posse

O PT prepara uma verdadeira operação de guerra para evitar um vexame de pouco público na posse do segundo mandado de Dilma, em 1º de janeiro de 2015.

Pelas redes sociais e nos blogs alinhados ao governo federal, o partido montou uma ostensiva campanha convocando os militantes a comparecerem a Brasília, além de determinar aos diretórios municipais que organizem caravanas.

O motivo do medo é a avalanche de notícias ruins para a presidente: escândalo de corrupção na Petrobrás, desempenho pífio na economia e a derrota de diversos aliados nas últimas eleições. Na avaliação dos petistas, não há clima para uma grande festa espontânea.

Nove atos da Defensoria Pública foram considerados ilegais, entre eles a equiparação salarial e a incorporação do adicional por tempo de serviço.

Da Gazeta do Povo:

O Tribunal de Contas do Paraná (TC) determinou ontem a suspensão, em caráter liminar, de diversos benefícios, equiparações e promoções de carreira de defensores públicos do estado. Conforme a decisão, relatada pelo conselheiro Durval Amaral e acolhida por unanimidade pelos demais membros do Pleno do TC, nove atos da Defensoria Pública foram tomados de maneira ilegal e suspensos. A instituição tem 15 dias para recorrer da liminar.

beto - defensores púb.

O governador Beto Richa (PSDB) voltou a classificar hoje (quinta-feira, 6) como “uma farra” os aumentos salariais de 87% que a Defensoria Pública concedeu aos defensores públicos no Paraná. “A Defensoria esqueceu o espírito público e a transformou em uma defensoria de super salários. Isso é uma farra e tem que acabar”, disse Beto Richa. O governador oficiou o controlador-geral do estado, Carlos Eduardo de Moura, para que investigue os super salários e as vantagens criadas, sem amparo e autorização legal, no órgão paranaense.

Ao jornal Gazeta do Povo, que trouxe na edição de hoje matéria detalhada sobre os super salários, Beto Richa disse que considera “inaceitável” a rápida ascensão dos defensores públicos. “Estou perplexo ao receber a informação desses aumentos descabidos, considero isso uma farra.” Para ele, o país como um todo passa por um momento em que “é preciso ter austeridade”. “Não tenho conhecimento de outra categoria que em menos de um ano teve [quase] 100% de aumento”, disse. Beto Richa enfatizou que nenhum servidor do governo tem auxílio-alimentação, já os defensores recebem R$ 710 por mês.

Do Boca Maldita

É história digna de conto do Dalton. Senhora ilustre e de rara inteligência pegou o celular do seu gajo e descobriu a vida (ou tentativa de) sexual do atleta. Irada, levou o celular com denúncia ao Ministério Público, pois o aparelho é de propriedade do governo estadual, serve a um secretário e não pode ser usado para cantar as outras, inclusive as casadas. O gajo ficou aflito e de quatro dedos no ar, uiva contra a agora ex.

— Sou teu caboclo, dizia para as moças. Acaboclou-se