Tag

receita

Browsing

fernando-giacobo1

A Receita Federal publicou nesta quinta-feira (30 de junho) a Portaria nº 289, que prorroga por mais um ano a cota de compras em US$ 300 no exterior. A informação havia sido antecipada no início da semana pelo deputado federal Fernando Giacobo (PR-PR), após audiência com o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, e o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Eduardo Guardia.

Com a norma em vigor, destaca Giacobo, a redução da cota passará a vigorar a partir de 1º de julho de 2017. “Até lá, faremos estudos para ver se aumentamos um pouco mais a cota, para 450, 500 dólares”, adiantou o deputado.

foto AN_gazeta do povo

Gazeta do Povo

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) está cumprindo 47 mandados de prisão em pelo menos em duas cidades do Paraná: Londrina e Curitiba. A operação deflagrada na manhã desta quinta-feira (3) é mais uma fase da Operação Publicano. Até as 10 horas, 40 pessoas tinham sido presas – 33 em Londrina e sete em Curitiba. Aqueles que foram detidos na capital serão levados para Londrina. Quarenta e quatro alvos da operação são auditores fiscais, 35 deles já envolvidos em investigações anteriores.

Os casos de corrupção na Receita Estadual de Londrina iniciaram em 2005, durante o governo de Roberto Requião (PMDB). As informações foram apuradas pelo Ministério Público, através de depoimentos de empresários. A quadrilha formada por auditores fiscais atuou durante anos. Recebia propinas para não multar as empresas ou reduzir os impostos. No entanto, somente agora o Gaeco tem estrutura policial para investigar e prender os auditores acusados, como acontece em mais uma operação nesta quinta (03).

O Paraná ultrapassou o Rio Grande do Sul e já é a quarta maior economia do País, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Ipardes e IBGE. A economia paranaense respondeu por 6,3% de todas as riquezas geradas no País em 2013, atrás apenas de São Paulo (32,1%), Rio de Janeiro (11,8%), Minas Gerais (9,2%). O Rio Grande do Sul ficou com 6,2%. A mudança de patamar da economia paranaense é histórica. Desde 1949 o Paraná ocupava a posição de quinta maior economia do Brasil.

“É um feito histórico digno de ser comemorado pelos paranaenses. Somos o 6º estado brasileiro em população e o 15º em extensão territorial, mas o esforço dos trabalhadores e das empresas paranaenses nos elevou ao grupo das quatro maiores economias regionais do País”, disse o governador Beto Richa (PSDB).

mauro ricardo - foto Julio Cesar Costa_SEFA

Em entrevista ao jornal Metro/Curitiba desta segunda-feira, 26, o secretário Mauro Ricardo Costa (Fazenda) diz que a situação do Paraná relação a União e outros estados é completamente diferente com um superávit de R$ 2 bilhões. “Ele está sendo usado para pagamento de compromissos anteriores e na formação de lastro para o pagamento do 13º salário”.

Mauro Ricardo diz ainda que não haverá mais nenhuma medida para aumento de imposto. “Temos um programa de parcelamento (de impostos) que se encerra em 30 de outubro da ordem de R$ 1,6 bilhão”.

E prevê um investimento de R$ 6,8 bilhões para 2016. “Temos um orçamento de R$ 54,5 bilhões com investimos na ordem de 6,8 bilhões no ano que vem. Esse ano foi de ajuste fiscal, ano que vem será um ano de investimento”. Leia a seguir a íntegra da entrevista.

do Bem Paraná:

O juiz Juliano Nanuncio, da 3ª Vara Criminal de Londrina (Norte do Estado) acatou denúncia do Ministério Público contra 125 pessoas acusadas de envolvimento em um esquema de corrupção na Receita Estadual, investigado na segunda fase da Operação Publicano. A operação apura suposto esquema no qual auditores fiscais do Estado cobravam propina para perdoar ou anistiar dívidas de empresas com o fisco paranaense. Além de auditores, foram denunciados contadores, advogados e empresários, pelos crimes de corrupção ativa e passiva, organização criminosa, tráfico de influência e concussão.

da Folha de S. Paulo:

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), pediu à Justiça que suspendesse e remetesse os inquéritos que investigam um esquema de corrupção na Receita Estadual para o STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O tucano, que tem afirmado ser “o maior interessado nas investigações”, argumentou que os inquéritos fazem menção a seu nome, e reclamou que não lhe foi permitido o acesso aos autos. Por isso, pediu seu envio ao STJ, que tem a competência de processar e julgar governadores.

Na prática, isso paralisaria momentaneamente as investigações feitas pelo Ministério Público Estadual, que já levaram à prisão de pouco mais de 50 pessoas.

O pedido foi negado pelo ministro João Otávio de Noronha, que considerou que isso provocaria “prejuízos à marcha do inquérito”, segundo decisão publicada nesta terça-feira (16).

da Gazeta do Povo:

Todos os auditores fiscais que ocuparam o cargo de inspetor geral de fiscalização na Receita Estadual durante o primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB) foram presos, nesta quarta-feira (10), pelo Gaeco, em Londrina ou em Curitiba, na segunda fase da Operação Publicano.

Confira o nome e a profissão de todas as pessoas presas até o momento:

da Gazeta do Povo:

O Gaeco deflagrou, na manhã desta quarta-feira (10), a segunda fase da Operação Publicano, que investiga uma suposta organização criminosa formada por auditores fiscais, contadores e empresários para facilitar a sonegação fiscal mediante o pagamento de propina. Estão sendo cumpridos mais de 50 mandados de prisão em pelo 10 cidades paranaenses, entre elas Curitiba, Londrina, Arapongas e Apucarana.

A ação de hoje centrou fogo na cúpula da Receita Estadual, no que o Gaeco considera o “núcleo político” do esquema criminoso. Apesar de os nomes ainda não terem sido divulgados, a Gazeta do Povo conseguiu apurar que altos dirigentes da Receita tiveram mandado de prisão decretada.