Tag

reeleição

Browsing

d’ O Globo:

A Câmara aprovou, em segundo turno, na noite de terça-feira a PEC da Reforma Política, por 420 votos a 30. A votação dos destaques que podem alterar o texto já aprovado, no entanto, foi adiada para a próxima semana. Temas polêmicos poderão voltar a ser debatidos nessa votação, como o financiamento de campanhas, já que há destaques supressivos propondo a exclusão da regra que permite a doação de empresas a partidos políticos e de pessoas físicas a partidos e a candidatos.

Foto: Maryanna Oliveira / Câmara dos Deputados cunha222

Antes, Câmara aprovou doação de empresas a partidos, não a candidatos. Texto completo da reforma política ainda terá que ser votado em 2º turno.

do G1:

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira (27), por 452 a favor, 19 contra e uma abstenção, o fim da reeleição para presidente da República, governador e prefeito. A votação foi parte da série de sessões iniciada nesta semana, destinada à apreciação das propostas de reforma política.

O texto do fim da reeleição, de autoria do relator, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), não altera o tempo atual de mandato (quatro anos), mas, nesta quinta-feira (28), o plenário analisará a ampliação da duração do mandato para cinco anos. Antes de votar o fim da reeleição, os deputados rejeitaram nesta quarta o financiamento exclusivamente público das campanhas e aprovaram a doação de empresas a partidos, mas não a candidatos.

do Celso Nascimento, Gazeta do Povo:

O prefeito Gustavo Fruet não parece preocupado em se reeleger: o aumento, numa paulada, da tarifa de ônibus de R$ 2,85 para R$ 3,30, e mais a confusão armada com a desintegração tarifária das linhas metropolitanas são fatos mais do que suficientes para o eleitorado, frustrado com as esperanças que depositou nele em 2012, prefira não renovar seu mandato em 2016.

vilson - peq

Da Banda B:

Agora é oficial. Após especulações e dúvidas em torno do nome que seria lançado pela situação para as eleições presidenciais no Coritiba, foi oficializada a candidatura à reeleição de Vilson Ribeiro de Andrade. O atual mandatário alviverde concorrerá para continuar no cargo até 2017. A chapa “Coritiba, Nós Construímos” foi definida em reunião realizada na noite desta segunda-feira (10). Procurado pela Banda B, Vilson afirmou que concederá entrevista coletiva na sexta-feira (14) e, após isso, o presidente só voltará ao assunto eleições após o Brasileirão.

ary fontoura - facebook

Via facebook, o ator Ary Fontoura fez um desabafo sobre o resultado das eleições. Para o ator, o momento não é para lamentações, mas sim de reflexão. Veja o texto:

Ary Fontoura

“Mea culpa! Ao saber do apertado resultado da eleição e ouvir o discurso da Presidente, cercada do seu “staff passado, presente e futuro”, achei que o cenário preparado para esta explanação estava mal ajeitado. A claque, muito agitada e histérica, impedindo que os acordes finais da voz de Dilma pudessem ser ouvidos, aplaudindo freneticamente o Lula que lá estava feito papagaio de pirata, lambendo a cria e sonhando com a transposição do São Francisco, e viajando no Trem Bala que a comadre Dilma, depois que esteve na Disney, inventou. E lá estava ele, sem saber pra onde ia, o que fazia e o que sabia.
Dilma devia ter limpado o espaço e ficado sozinha no apelo que fez a outra metade da população que nela não votou, prometendo coibir a corrupção; prometendo fazer mudanças que a sociedade clama, para reformar a política. Enfim, tudo que já prometeu e não fez! Devia dizer que agora sua governança não estava mais designada ao partido, apenas para manter o Lula sempre presente, mas, sim, para governar como nunca fez!

Após a reeleição de Dilma Rousseff (PT), o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo, opera em forte queda nesta segunda-feira (27). Às 10h47, o índice caía 5,09%. Analistas já avaliam a possibilidade da Bolsa cair 10% na primeira hora. Já o dólar sobe 3,4% R$ 2,54, chegando a superar R$ 2,56, atingindo a máxima de 2008.

As ações que mais sofrem desvalorização neste momento são as de empresas públicas ou de capital misto ligadas ao governo. A Petrobras amarga perda de 12,45%, Eletrobras de 12,66% e Banco do Brasil despenca 12%.

lula petrob

De Fernando Rodrigues, na Folha de S. Paulo:

Ouvi uma frase sobre a corrida presidencial que me pareceu perfeita: “Em 2002, achei que o PT estava despreparado para assumir o governo. Mas eu não sabia que o PT estaria agora tão despreparado para deixar o governo”.

É uma avaliação tão cruel quanto verdadeira. Revela também o grau de subdesenvolvimento institucional do país. É claro que não há risco de disrupção, mas parece um pouco incompatível com a regra democrática que um partido entre em desespero frenético apenas porque existe a possibilidade de sair do poder a partir de 1º de janeiro de 2015.

A aparição do ex-presidente Lula, suado e descabelado, fazendo uma manifestação em frente à Petrobras é a síntese do clima atual no PT. E nem está claro que Dilma Rousseff perderá a disputa contra Marina Silva (aliás, a presidente está à frente nas pesquisas). Mas em Brasília é possível respirar um certo pânico no ar.