Tag

repar

Browsing

Cerca de R$ 100 milhões foram adiantados para empresas envolvidas na Lava Jato irregularmente nas obras da Refinaria Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, no Paraná. Essa foi uma das conclusões da Comissão Interna de Apuração que investiga não conformidades nas obras da refinaria. Três integrantes da comissão foram ouvidos pelo juiz federal Sergio Moro em audiência de testemunhas de acusação nesta quarta-feira (20), na Justiça Federal de Curitiba. As informações são da Gazeta do Povo.

Foto: Marcelo Andrade / Gazeta do Povo
repar_mendesjuniorbaixa
Augusto Ribeiro Mendonça Neto fez a afirmação em delação premiada ao detalhar R$ 60 milhões em propina a Renato Duque, parte referente às obras de reforma da Repar, em Araucária

Da Gazeta do Povo:

O empreiteiro Augusto Ribeiro Mendonça Neto – representante de várias empresas desde a década de 90, entre elas a Setal Engenharia, depois transformada em Toyo Setal – admitiu ter pago parte da propina cobrada por ex-diretores da Petrobras na forma de doação oficial para campanhas eleitorais do Partido dos Trabalhadores (PT). Ele estimou em “aproximadamente R$ 4 milhões” o total pago em doações ao PT entre os anos de 2008 e 2011 por orientação pessoal de Duque. Mendonça Neto afirmou que as empresas responsáveis pelas doações foram a Setec Tecnologia, a PEM Engenharia e a SOG Óleo e Gás. Ao todo, Julio Camargo e Augusto Ribeiro de Mendonça Neto admitiram participação no pagamento de pelo menos R$ 152 milhões de propinas vinculadas a contratos com a Petrobras.

image
Planilha de Youssef indicaria o pagamento a políticos. Empresas do doleiro também receberam R$ 4,9 milhões de empreiteiras de obra na refinaria paranaense.

Da Gazeta do Povo – Investigadores da Operação Lava Jato encontraram novos indícios que ligam o esquema operado pelo doleiro Alberto Youssef às obras de ampliação da refinaria Getúlio Vargas (Repar), em Araucária, na região metropolitana de Curitiba. A Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF) apuraram que empresas controladas por Youssef mantiveram pelo menos três contratos com empreiteiras que atuaram na obra, ocorrida entre 2006 e 2012 e que custou R$ 7,5 bilhões. Os valores repassados pelas empreiteiras às empresas de Youssef somam R$ 4,9 milhões. A PF também apreendeu uma planilha, que estava em posse do doleiro, detalhando supostos pagamentos de propina de R$ 35.8 milhões envolvendo a Repar. O dinheiro abasteceria o esquema de pagamento a políticos e empresários descoberto pela Lava Jato.