Tag

Rio Grande do Sul

Browsing

foto - agencia rbs

O governador José Ivo Sartori (PMDB-RS) anunciou que ingressou com uma ação no STF para pedir a revisão do contrato da dívida com a União de cerca de R$ 50 bilhões. O Estado já teve as contas bloqueadas duas vezes neste ano por calote. A ação é baseada em estudo que aponta que a dívida poderia ser reduzida em R$ 21 bilhões se o índice de correção monetária fosse revisto. Com informações da Folha de S. Paulo.

A decisão de Sartori pode gerar um efeito cascatas e outros governadores podem apelar para o STF e rever as dívidas estaduais. Um dos casos é do Paraná que contraiu uma dívida de R$ 5 bilhões em 1998, já pagou R$ 11 bilhões e ainda deve R$ 9,3 bilhões. Para saldar o débito, o Estado estima em R$ 31 bilhões o montante comprometido até 2028. Hoje, as parcelas mensais para quitar o empréstimo são de R$ 84 milhões.

O governo do Rio Grande do Sul enviou na sexta-feira, 7, a Assembleia Legislativa pacote de medidas econômicas e fiscais para contornar a crise financeira que provocou parcelamento de salários do funcionalismo público em julho. Na terceira etapa do chamado ajuste fiscal, dez medidas fazem parte do pacote – entre elas a criação de um sistema de previdência complementar e a extinção de fundações. Com informações d’O Globo.

foto - rs1

A população do Rio Grande do Sul está em estado de sítio com a paralisação dos servidores contra o parcelamento dos salários. Desde a madrugada, a Polícia Civil está registrando apenas ocorrências de crimes contra a vida, como assassinatos e estupros. Informações da GloboNews. Ocorrências de rotina não são atendidas, e muitas delegacias estão fechadas. Em Santa Maria, na Região Central, policiais civis se algemaram para protestar contra o parcelamento dos salários.

servidores -rs

O caos se instalou no Rio Grande do Sul. Os servidores públicos estaduais cruzaram os braços nesta segunda-feira, 3, em protesto contra o parcelamento de salários que atingiu 47,2% do funcionalismo. Serviços essenciais estão paralisados ou reduzidos ao longo do dia — entre eles, o policiamento ostensivo da Brigada Militar, o atendimento de ocorrências sem gravidade pela Polícia Civil e as aulas nas escolas da rede estadual. Com informações do Zero Hora.

O governador gaúcho José Ivo Sartori (PMDB) vai enviar nesta semana à Assembleia Legislativa um pacote fiscal que inclui reajuste de alíquotas do ICMS e do IPVA, além de cortes de gastos e redução de despesas da máquina pública. O orçamento será contingenciado em 25%. O problema é que todas as medidas que serão tomadas só terão impacto em 2016.

mauro ricardo02

O secretário Mauro Ricardo Costa (Fazenda) disse nesta segunda-feira, 20, que Estados como o Rio Grande do Sul estão atrasados em adotar medidas de ajuste fiscal e equilibrar as contas. “O Paraná começou no mês de dezembro de 2014 com as medidas que foram aprovadas na Assembleia Legislativa, de equalização das alíquotas de ICMS, IPVA e criação de contribuição previdenciária para inativos e pensionistas. O que os estados estão fazendo agora de uma forma extremamente atrasada”, comentou a respeito das prováveis medidas que o governo gaúcho encaminhará ao legislativo em agosto.

“No caso especifico do Rio Grande do Sul, só entrara em vigor em 2016, ou seja, um ano de atraso na implementação das medidas. E o que tem levado o Rio Grande do Sul a estar em uma situação muito difícil. Inclusive sem recursos para pagamento de pessoal, que já não é mais o nosso caso”, completou.

dilma e tarso
Foto: Divulgação – Twitter/ @tarsogenro

Valor Econômico

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, disse ontem que o governo federal está comprometido com a votação no Senado do Projeto de Lei Complementar nº 99, de 2013, após as eleições. O texto, enviado pelo Executivo, trata da renegociação de dívidas de Estados e municípios com a União e interessa particularmente ao Rio Grande do Sul, cujo passivo soma quase R$ 45 bilhões. “Temos o compromisso de aprovar [o projeto], obviamente com todos os interessados”, disse em entrevista ao grupo RBS, transmitida pela Rádio Gaúcha.

Com a garantia, Dilma procura responder aos principais adversários do governador e candidato à reeleição Tarso Genro (PT), que se mostram céticos ante as chances de aprovação do projeto. Eles argumentam que, embora o governo seja o autor, o Ministério da Fazenda tenta bloquear a tramitação.

Ideli Salvatti, José Sarney, beijo

Que fase! A ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, que no Congresso é tida como uma das trapalhonas da Dilma, fez outra das suas. Convidou parlamentares paranaenses para “Encontro de Novos Prefeitos e Prefeitas do Estado do Rio Grande do Sul”. Pois, pois, informou que o lugar do encontro é em Pinhais. Ideli é de Santa Catarina e teve seu auge quando senadora, sob a proteção e simpatia de José Sarney.