Tag

willian xavier

Browsing

Estar na região metropolitana de Londrina faz com que se tenha esperança de uma retomada econômica mais efetiva. Uraí, pequena cidade do norte do Paraná, aproxima-se gradativamente de Londrina no desejo de fazer valer seu status de ser da região metropolitana, até então existente apenas na forma da Lei.

É pretendido, com o apoio do prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, criar alternativas de mobilidade para que nossa cidade tenha acesso mais fácil aos serviços existentes naquele grande centro como saúde, educação, emprego, dentre outros. Com a diminuição do pedágio de Jataizinho, espera-se que esse fluxo aumente e se tenha melhores condições de desenvolvimento humano.

“Nosso povo merece essa reparação. Foram décadas de esquecimento. Esse pedágio isolou nosso caminho. Pretendemos, com a liderança do Marcelo Belinati, alavancar projetos estruturantes em nossa região. Contamos também com as demais cidades do norte pioneiro que, por força da nossa geografia, possam acessar a cidade de Londrina por um entroncamento único.” Disse William Xavier, vice-prefeito de Uraí.


Poucas são as propostas capazes de, em uma única ação, definir indústria, inovação e infra estrutura como o PORTO SECO. Localizada a 50 km de Londrina a pequena Uraí, está em processo de formação de um consórcio intermunicipal para conseguir junto ao governo estadual e federal a criação de um Porto Seco regional capaz de fomentar o tão desejado avanço histórico.

Espaço para a implantação desta iniciativa junto a principal rodovia da região, a cidade já dispõe e, com a expectativa de readequação da tabela tarifária na praça de pedágio de Jataizinho, torna-se perfeitamente viável.
Dentre as atividades pretendidas estão o desembaraço aduaneiro, a possibilidade de atendimento, com agilidade, às regiões norte do estado, interior de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Por WILLIAM XAVIER, vice-prefeito de Uraí

Muito se fala dos pedágios do Paraná, contudo, uma parcela significativa da população sequer tem recursos financeiros para possuir um carro ou, ainda, abastecer seu veículo com um dos combustíveis mais caros do mundo. O pedágio nesse caso seria um troco após o pagamento da parcela de um veículo financiado, combustível utilizado mensalmente, IPVA, seguro anual, depreciação, o risco de vida nas nossas estradas pedagiadas, que deveriam estar duplicadas, dentre outros desafios.

A solução mais simples, a exemplo de países de primeiro mundo, seria a implantação de um transporte público de qualidade entre municípios de pequeno porte e centros maiores a custos viáveis. São vários anos de críticas ao pedágio de Jataizinho, notadamente o mais caro do Paraná, onde tais críticas trouxeram efeito prático zero. A falta de ação do poder público obrigou nossa população ao confinamento, refém de um isolamento obrigatório devido a incapacidade financeira de locomoção.

O resultado disso foi a redução do crescimento dos municípios de pequeno porte. Agora, nos resta abraçar o transporte público por aplicativos para tentar diminuir esta diferença. Consultas recentes indicam que um trecho Uraí/Cornélio Procópio pode custar R$ 12,00 por passageiro, da mesma forma Uraí/Londrina pode custar R$ 30,00 por passageiro, dependendo do horário e com 3 passageiros.

Por William Xavier – Vice-Prefeito de Uraí/PR.